Sinta-se beijado(a)

A língua é o único músculo que diz a que veio. Eu falo o que penso, eu conto o que vejo, eu compartilho o que gosto, eu exponho meu modo eu me mostro. É um espaço meu, seu, é universal assim como o Beijo! Fique a vontade e divirta-se!

28 de nov de 2011

Eu perdi...

Quando eu era jovenzita (não que seja velha) eu até me vi entrando na igreja e casando, sempre achei bonita essa cena, o glamour das festas de casamento e tudo mais. O tempo passou e definitivamente essa visão minha entrando de noiva numa igreja não vai rolar, só se eu quiser arrasar na modernidade enfim, mas não é sobre o meu casamento que eu quero falar nesse post.

Minha melhor amiga-irmã dessa vida resolveu se casar, o que é ótimo, super aprovei o noivo hehehe que é um doce de pessoa e só posso desejar que seja eterno enquanto dure e que dure. Depois que me mudei pra São Paulo, automaticamente comecei a perder todas as coisas na minha vida acreana, isso é óbvio, mas perder esse casamento foi o tipo de coisa que eu não poderia ter perdido nunca, mas perdi. Quando soube da data tentei me arquitetar daqui pra ir, rolou um movimento dos familiares e amigos pra que eu fosse, mas ficou difícil por vários motivos, minha vida é em sampa e dar um pulo no Acre não é logo ali né.

Perdi e sinto que perdi uma memória linda de ver minha amiga entrando na igreja toda fina, chiquérrima que ela devia tá, perdi o deslumbre com a decoração da igreja, da festa, perdi o champanhe e o brinde, perdi a entrada do casal, perdi de ver a tia Adelaide chorando no altar, perdi de estar lá chorando junto, perdi o tio João todo elegante levando a noiva, perdi de estar rindo a noite toda com os amigos, perdi as daminhas Maria Clara e Manuela, perdi de tomar uma com meu pai, de dançar com meu irmão, perdi a cara de bobo feliz que o noivo devia tá, e perdi de ver minha amiga brilhando no dia mais importante da vida dela, eu perdi o casamento da minha melhor amiga.

A dor que senti todos esses dias foi dilacerante, chorei, fiquei triste, chorei mais um pouco e ainda choro hehehe, parece bobagem, mas é como eu disse sinto como se tivesse perdido uma memória, um momento importante, mas não é culpa de ninguém, eu escolhi morar longe dos meus amores em busca de estudo, sucesso, crescimento e etc. E vou continuar perdendo as coisas, enquanto estiver aqui, quando estiver lá...
No dia eu tentei ficar bem, mas foi impossível eu não conseguia parar de pensar em tudo, criei minhas próprias imagens na cabeça, a festa aconteceu no meu coração, no meu pensamento até os últimos minutos, minha energia estava inteira presente naquele dia, com ela, com a minha irmã, eu acho que ela sabe disso né Lú?

Nesse dia saí do trabalho umas 6 da manhã e fui tomar uma cerveja com meu gerente pra extravasar e tal, a conversa foi até mil horas depois, com a 2ª parte na minha sala ouvindo boa música e tomando uns bons drinks. Resolvi entrar no facebook pra bisbilhotar, bêbada, a 1ª atualização era de um amigo com fotos do casamento, então eu a vi toda perfeita, num vestido absurdamente lindo, parecia uma capa da VOGUE NOIVAS, quanto vi a foto veio um choro instantâneo de criança mesmo e pra parar vixeee, mas tudo bem eu tinha que deixar rolar. Felicidade, amor, saudade, um mix de coisas veio na hora e tudo bem sou humana e sou chorona mesmo. De todas as dores que tive nesse 1 ano e 7 meses de vida paulista, a dor de perder esse momento foi a maior de todas.

Lú tudo isso foi só pra te dizer o quanto eu senti de não estar presente nesse dia tão maravilhoso, só posso te desejar toda a felicidade do mundo nêga, pra você e pro Rafael seu marido que chique! Não entendo nada de relacionamento, casamento, mas pra tudo na vida tem umas palavrinhas que a gente além de não esquecer tem que praticar: amor, compreensão, amizade, desapego, carinho, paciência, sabedoria enfim... EU DESEJO TUDO DE MELHOR PRA VOCÊS DOIS!!!

24 de nov de 2011

A pele que habito!

Como sempre falo das coisas que vejo aqui, não podia deixar de falar do último filme a que assisti essa semana: A PELE QUE HABITO, do mestre ALMODÓVAR.
Na verdade não dá nem pra dizer muito sobre, pois é o tipo de filme que não dá pra contar um detalhe que pode estragar tudo. O filme é interessante do começo ao fim, a forma que a história se desenrola é de cair o queixo, é muita informação, é um remelexo com o seu interior, um confronto interno de amor, ódio, paixão e tudo mais. Não dá pra contar sobre, é preciso ver. Pra quem gosta dos filme do Almodóvar, um prato cheio e pra quem curte uma boa história, fica a dica.

Na minha opinião é um filme SUPER ULTRA FODA. INCRÍVEL :)

21 de nov de 2011

Não existe mesmo?

Não Existe Amor Em SP - Criolo

Não existe amor em SP
Um labirinto mistico
Onde os grafites gritam
Não dá pra descrever
Numa linda frase
De um postal tão doce
Cuidado com doce
São Paulo é um buquê
Buquês são flores mortas
Num lindo arranjo
Arranjo lindo feito pra você

Não existe amor em SP
Os bares estão cheios de almas tão vazias
A ganância vibra, a vaidade excita
Devolva minha vida e morra afogada em seu próprio mar de fel
Aqui ninguém vai pro céu

Não precisa morrer pra ver Deus
Não precisa sofrer pra saber o que é melhor pra você
Encontro duas nuvens em cada escombro, em cada esquina
Me dê um gole de vida
Não precisa morrer pra ver Deus

*Tô atrasada em escutar Criolo, e já me disse tanta coisa, caceta o cara é o CARA! Preciso ouvir tudo dele já e se você tá perdido que nem eu, fica a dica. Letra linda essa que tô postando e a melodia é maravilhosa!

*Voltarei as postagens, tenho um monte de coisas pra escrever!!!

BEIJOS

26 de out de 2011

Burlesque!

Sabe a Christina Aguilera? Pois então eu nunca gostei dela, da música dela, da cara dela, do trabalho dela, dela em si, ainda mais depois de ver o quanto ela é nojenta na vida real, numa entrevista aqui no Brasil. Mas ontem isso mudou um pouquinho, assisti o filme Burlesque com ela e a diva CHER, o filme é suave, com uma história já batida, mas que cativa e te leva até o fim feliz de ter assistido o musical. É a história de “Ali” (Christina Aguilera) uma jovem com uma bela voz que sai de Iowa para buscar os sonhos em Los Angeles. Por acaso, ela chega a um teatro incrível o The Burlesque Lounge, onde está sendo exibido um musical. Ali é contratada como garçonete, os fantásticos figurinos de Burlesque e a coreografia ousada conquistam Ali, que promete um dia, subir ao palco do teatro. Por trás de todo o sucesso do clube está a maravilhosa CHER, que faz Tess a proprietária que está com problemas financeiros, prestes a perder o clube, tendo a única opção de vender pra um ricasso e perder seu amado espaço. Enfim, a história é bonitinha, convence e o brilho do filme está nas cenas musicadas, cantadas por Aguilera e Cher. Foi bom assistir e mudar de opinião, sem falar que há cenas em que ela está deslumbrante. E ver a diva mór CHER aos 65 anos em cena, linda, poderosa é bom demais. Apertei o play odiando Christina Aguilera e apertei o stop tendo simpatia pela moça.



Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=pBb6xpw-1Og&feature=player_embedded

24 de out de 2011

Dj Claudinha Set ElectroPOP

Alô blogueiros, bom quem frequenta o blog sabe que eu sou Dj e hoje gravei um set, bem POP, bem balada, pra ferver, pra divulgar meu trabalho e quem gostar dança aí!

Dj Claudinha Set ElectroPOP by Claudinha Bartholo

beijos

19 de out de 2011

Elo - Maria Rita

Num lindo dia em outro verão me apresentaram uma novata no cenário da música brasileira, a filha de Elis, hoje a única em meus ouvidos e minha cantora favorita, Maria Rita. Comprei todos os álbuns, escutei, decorei todas as letras e quando canto ao vento alguma coisa, na certa é ela. Fiz até um show nos meus tempos áureos de cantora em Rio Branco, (onde pretendo voltar fica a dica hehe) com metade do repertório sendo de canções da Diva.

Tô sempre ligada em tudo que a maravilhosa faz, e lançando um novo álbum não podia esperar nem um minuto pra comprar, assim o fiz. Chega ELO um álbum que faz lembrar muito dos outros 3 trabalhos, está entre a MPB classuda, o sambinha e aquelas onde a voz é sempre o que se ouve com mais brilho, com a formação de piano, baixo, bateria e voz, Elo vem em forma de presente aos fãs. As músicas escolhidas por amor, vontade de cantar e outras cositas mas, dentre as mais conhecidas estão: Menino do Rio (Caetano), A história de Lilly Braun (Chico Buarque), Nem um dia (Djavan), A outra (Los Hermanos) e Coração em desalinho que fez muito sucesso recentemente na novela Insensato Coração. Lindo, maravilhoso, gostoso de ouvir, uma viagem por músicas que fizeram tanto sucesso e agora na voz que considero a mais bonita do Brasil, está simplesmente uma preciosidade esse álbum, como todos os outros.
No encarte ao invés das letras, uma explicação do porque escolheu cada canção, uma forma de criar intimidade abrindo seu coração com quem levar o CD ELO pra casa. Frases como: “Cantarolo essa música pelos cantos da minha casa há anos, recomendo pras amigas doídas de amor. Entrou no show por amor que tenho ao Camelo: minha alma pede as composições dele. É vicio já.” Referente à música A OUTRA, dos Hermanos. Eu já comprei, já decorei mais essas letras também, o dia que fizer outro show certamente algumas desse álbum entrarão.

15 de out de 2011

Drama queen!

Fiquei doente meio gripada, garganta ruim desde quinta, não tive força pra mais nada, só cama, medicamentos e muito tempo pra pensar na vida. Hoje é sábado e não tem momento mais solitário do que ficar doente, longe de casa, da família, do calor dos entes queridos, aqui tudo é tão frio. De um modo geral essa cidade é fria, climáticamente falando, pessoalmente falando e tudo mais falando. Quando só te resta ficar em casa, no frio, debaixo da coberta, tomando remédio e esperando a melhora total, a solidão fica maior do que a gente pode suportar.
Tenho pensado muito em como é difícil viver longe de tudo que eu amo, e nessa de cama e pijama vira um martírio. Mas não tem nada a ver com não gostar de morar em SP, pelo contrário é a melhor coisa da minha vida, amo essa cidade, amo meu companheiros de cotidiando aqui, realmente amo essa vida e vai fazer uma enorme diferença no meu futuro viver essa cidade por um tempo, que seja suficiente.
Mas um draminha de quem tá há 2 dias na cama no sábado a noite nem é tão ruim assim vai.

10 de out de 2011

Mildred Pierce, uma descoberta!

Esses dias zapeando parei num canal que estava transmitindo o Emmy (aquela premiação dos programas televisivos, sitcoms e tal) como sou fã das séries americanas fiquei vendo quem estava por ali concorrendo com o quê, etc. Me deparei com Kate Winslet num vestido vermelho deslumbrante, tenho minha paixão por essa moça, bom aí ela me surge ganhando o prêmio de melhor atriz, por uma minissérie americana de título até então desconhecido pra mim. Mildred Pierce era o nome e no tempo que acompanhei a transmissão a tal série concorreu a vários prêmios e levou alguns, pronto estava instalada a minha curiosidade absoluta pela série. Anotei o nome e procurei por ela no dia seguinte.
Achei num site, capturei todos os capítulos e comecei a assistir, uma série curta em 5 partes com duração de 60 a 70 minutos cada, mas que série boa, envolvente. Me apaixonei mais uma vez pela Kate Winslet, amei a atuação do Guy Pearce e fiquei em choque com a Evan Rachel Wood que está incrível no papel de Veda, filha de Mildred. Eu já acompanhava a mesma em True Blood, mas a Rainha dos vampiros morreu no fim da última temporada.


Bom e Mildred Pierce? Uma série forte, impecável, a história gira em torno de Mildred, uma mulher enfrentando o divórcio em plena Grande Depressão americana nos anos 30, e tendo que sustentar duas filhas; Moire e Veda. Mildred é determinada vende bolos e tortas sob encomenda, tem muito talento na cozinha e se vira como pode para não deixar as filhas sofrerem com os problemas financeiros da família. Sua luta chega ao limite e ela é obrigada a aceitar um emprego de garçonete num restaurante o que lhe deixa muito desconfortável diante das filhas, da sociedade, e o status de mulher de classe média onde fica? Isso tudo a faz esconder o trabalho das meninas. Mas Veda, a sua filha mais velha, não perde uma oportunidade de humilhá-la ainda mais quando descobre que ela é uma simples empregada.
É o início de um conflito sem fim e sem justificativa alguma, mas, determinada, Mildred não desiste enquanto não se emancipar e montar seu próprio restaurante, ela faz da sua experiência como garçonete um verdadeiro laboratório de como ter um negócio. Entre muitas coisas que acontecem na vida dessa mulher batalhadora pode se dizer que toda sorte vem carregada de muita dor e ela sempre se levanta.
“Pro inferno, vamos tomar umas” é com essa frase que a série termina em mais um momento onde só resta se reerguer!
E ela tá certa, as vezes mandar tudo pro alto, e tomar 'uma' resolve!!!
Fica a minha dica especialíssima pra quem gosta de um bom drama e vale pela Kate Winslet que está sensacional como a protagonista Mildred Pierce!

2 de out de 2011

Manifesto Antropófago

Só a Antropofagia nos une. Socialmente. Economicamente. Filosoficamente.

Única lei do mundo. Expressão mascarada de todos os individualismos, de todos os coletivismos. De todas as religiões. De todos os tratados de paz.

Tupi, or not tupi that is the question.

Contra todas as catequeses. E contra a mãe dos Gracos.

Só me interessa o que não é meu. Lei do homem. Lei do antropófago.

Estamos fatigados de todos os maridos católicos suspeitosos postos em drama. Freud acabou com o enigma mulher e com outros sustos da psicologia impressa.

O que atropelava a verdade era a roupa, o impermeável entre o mundo interior e o mundo exterior. A reação contra o homem vestido. O cinema americano informará.

Filhos do sol, mãe dos viventes. Encontrados e amados ferozmente, com toda a hipocrisia da saudade, pelos imigrados, pelos traficados e pelos touristes. No país da cobra grande.

Foi porque nunca tivemos gramáticas, nem coleções de velhos vegetais. E nunca soubemos o que era urbano, suburbano, fronteiriço e continental. Preguiçosos no mapa-múndi do Brasil.

Uma consciência participante, uma rítmica religiosa.

Contra todos os importadores de consciência enlatada. A existência palpável da vida. E a mentalidade pré-lógica para o Sr. Lévy-Bruhl estudar.

Queremos a Revolução Caraiba. Maior que a Revolução Francesa. A unificação de todas as revoltas eficazes na direção do homem. Sem n6s a Europa não teria sequer a sua pobre declaração dos direitos do homem.

A idade de ouro anunciada pela América. A idade de ouro. E todas as girls.

Filiação. O contato com o Brasil Caraíba. Ori Villegaignon print terre. Montaig-ne. O homem natural. Rousseau. Da Revolução Francesa ao Romantismo, à Revolução Bolchevista, à Revolução Surrealista e ao bárbaro tecnizado de Keyserling. Caminhamos..

Nunca fomos catequizados. Vivemos através de um direito sonâmbulo. Fizemos Cristo nascer na Bahia. Ou em Belém do Pará.

Mas nunca admitimos o nascimento da lógica entre nós.

Contra o Padre Vieira. Autor do nosso primeiro empréstimo, para ganhar comissão. O rei-analfabeto dissera-lhe : ponha isso no papel mas sem muita lábia. Fez-se o empréstimo. Gravou-se o açúcar brasileiro. Vieira deixou o dinheiro em Portugal e nos trouxe a lábia.

O espírito recusa-se a conceber o espírito sem o corpo. O antropomorfismo. Necessidade da vacina antropofágica. Para o equilíbrio contra as religiões de meridiano. E as inquisições exteriores.

Só podemos atender ao mundo orecular.

Tínhamos a justiça codificação da vingança. A ciência codificação da Magia. Antropofagia. A transformação permanente do Tabu em totem.

Contra o mundo reversível e as idéias objetivadas. Cadaverizadas. O stop do pensamento que é dinâmico. O indivíduo vitima do sistema. Fonte das injustiças clássicas. Das injustiças românticas. E o esquecimento das conquistas interiores.

Roteiros. Roteiros. Roteiros. Roteiros. Roteiros. Roteiros. Roteiros.

O instinto Caraíba.

Morte e vida das hipóteses. Da equação eu parte do Cosmos ao axioma Cosmos parte do eu. Subsistência. Conhecimento. Antropofagia.

Contra as elites vegetais. Em comunicação com o solo.

Nunca fomos catequizados. Fizemos foi Carnaval. O índio vestido de senador do Império. Fingindo de Pitt. Ou figurando nas óperas de Alencar cheio de bons sentimentos portugueses.

Já tínhamos o comunismo. Já tínhamos a língua surrealista. A idade de ouro.

Catiti Catiti

Imara Notiá

Notiá Imara

Ipeju*

A magia e a vida. Tínhamos a relação e a distribuição dos bens físicos, dos bens morais, dos bens dignários. E sabíamos transpor o mistério e a morte com o auxílio de algumas formas gramaticais.

Perguntei a um homem o que era o Direito. Ele me respondeu que era a garantia do exercício da possibilidade. Esse homem chamava-se Galli Mathias. Comia.

Só não há determinismo onde há mistério. Mas que temos nós com isso?

Contra as histórias do homem que começam no Cabo Finisterra. O mundo não datado. Não rubricado. Sem Napoleão. Sem César.

A fixação do progresso por meio de catálogos e aparelhos de televisão. Só a maquinaria. E os transfusores de sangue.

Contra as sublimações antagônicas. Trazidas nas caravelas.

Contra a verdade dos povos missionários, definida pela sagacidade de um antropófago, o Visconde de Cairu: – É mentira muitas vezes repetida.

Mas não foram cruzados que vieram. Foram fugitivos de uma civilização que estamos comendo, porque somos fortes e vingativos como o Jabuti.

Se Deus é a consciênda do Universo Incriado, Guaraci é a mãe dos viventes. Jaci é a mãe dos vegetais.

Não tivemos especulação. Mas tínhamos adivinhação. Tínhamos Política que é a ciência da distribuição. E um sistema social-planetário.

As migrações. A fuga dos estados tediosos. Contra as escleroses urbanas. Contra os Conservatórios e o tédio especulativo.

De William James e Voronoff. A transfiguração do Tabu em totem. Antropofagia.

O pater famílias e a criação da Moral da Cegonha: Ignorância real das coisas+ fala de imaginação + sentimento de autoridade ante a prole curiosa.

É preciso partir de um profundo ateísmo para se chegar à idéia de Deus. Mas a caraíba não precisava. Porque tinha Guaraci.

O objetivo criado reage com os Anjos da Queda. Depois Moisés divaga. Que temos nós com isso?

Antes dos portugueses descobrirem o Brasil, o Brasil tinha descoberto a felicidade.

Contra o índio de tocheiro. O índio filho de Maria, afilhado de Catarina de Médicis e genro de D. Antônio de Mariz.

A alegria é a prova dos nove.

No matriarcado de Pindorama.

Contra a Memória fonte do costume. A experiência pessoal renovada.

Somos concretistas. As idéias tomam conta, reagem, queimam gente nas praças públicas. Suprimarnos as idéias e as outras paralisias. Pelos roteiros. Acreditar nos sinais, acreditar nos instrumentos e nas estrelas.

Contra Goethe, a mãe dos Gracos, e a Corte de D. João VI.

A alegria é a prova dos nove.

A luta entre o que se chamaria Incriado e a Criatura – ilustrada pela contradição permanente do homem e o seu Tabu. O amor cotidiano e o modusvivendi capitalista. Antropofagia. Absorção do inimigo sacro. Para transformá-lo em totem. A humana aventura. A terrena finalidade. Porém, só as puras elites conseguiram realizar a antropofagia carnal, que traz em si o mais alto sentido da vida e evita todos os males identificados por Freud, males catequistas. O que se dá não é uma sublimação do instinto sexual. É a escala termométrica do instinto antropofágico. De carnal, ele se torna eletivo e cria a amizade. Afetivo, o amor. Especulativo, a ciência. Desvia-se e transfere-se. Chegamos ao aviltamento. A baixa antropofagia aglomerada nos pecados de catecismo – a inveja, a usura, a calúnia, o assassinato. Peste dos chamados povos cultos e cristianizados, é contra ela que estamos agindo. Antropófagos.

Contra Anchieta cantando as onze mil virgens do céu, na terra de Iracema, – o patriarca João Ramalho fundador de São Paulo.

A nossa independência ainda não foi proclamada. Frape típica de D. João VI: – Meu filho, põe essa coroa na tua cabeça, antes que algum aventureiro o faça! Expulsamos a dinastia. É preciso expulsar o espírito bragantino, as ordenações e o rapé de Maria da Fonte.

Contra a realidade social, vestida e opressora, cadastrada por Freud – a realidade sem complexos, sem loucura, sem prostituições e sem penitenciárias do matriarcado de Pindorama.

OSWALD DE ANDRADE Em Piratininga Ano 374 da Deglutição do Bispo Sardinha." (Revista de Antropofagia, Ano 1, No. 1, maio de 1928.)

* "Lua Nova, ó Lua Nova, assopra em Fulano lembranças de mim", in O Selvagem, de Couto Magalhães

Oswald de Andrade alude ironicamente a um episódio da história do Brasil: o naufrágio do navio em que viajava um bispo português, seguido da morte do mesmo bispo, devorado por índios antropófagos.

***Assisti hoje ao espetáculo Macumba Antropófaga do grande e tão falado Zé Celso e os meus poros foram abertos e pra fechar não há remédio.

30 de set de 2011

Amigos meu blog ESTAVA com probleminhas mas agora está lindo, livre, leve e solto... estou reformando mas vai voltar a sua face alegre e vibrante enquanto isso lhes presenteio com música é claro.

Muito Pouco - Maria Rita

Pronto
Agora que voltou tudo ao normal
Talvez você consiga ser menos rei
E um pouco mais real
Esqueça
As horas nunca andam para trás
Todo dia é dia de aprender um pouco
Do muito que a vida traz.

Mas muito pra mim é tão pouco
E pouco é um pouco demais
Viver tá me deixando louca
Não sei mais do que sou capaz
Gritando pra não ficar rouca
Em guerra lutando por paz
Muito pra mim é tão pouco
E pouco eu não quero mais

Chega!
Não me condene pelo seu penar
Pesos e medidas não servem
Pra ninguém poder nos comparar
Porque
Eu não pertenço ao mesmo lugar
Em que você se afunda tão raso
Não dá nem pra tentar te salvar

Porque muito pra mim é tão pouco
E pouco é um pouco demais
Viver tá me deixando louca
Não sei mais do que sou capaz
Gritando pra não ficar rouca
Em guerra lutando por paz
Muito pra mim é tão pouco
E pouco eu não quero ...

...veja
A qualidade está inferior
E não é a quantidade que faz
A estrutura de um grande amor
Simplesmente seja
O que você julgar ser o melhor
Mas lembre-se que tudo que começa com muito
Pode acabar muito pior

E muito pra mim é tão pouco
E pouco é um pouco demais
Viver tá me deixando louca
Não sei mais do que sou capaz
Gritando pra não ficar rouca
Em guerra lutando por paz
Muito pra mim é tão pouco
E pouco eu não quero mais
Pouco eu não quero mais.
Pouco eu não quero mais.

http://www.youtube.com/watch?v=8J0hAFuR13I

*Minha música favorita no mundo!!!

29 de set de 2011

AMIGOS MEU BLOG ESTÁ COM PROBLEMAS TÉCNICOS E SOZINHA NÃO ESTOU CONSEGUINDO RESOLVER SE ALGUÉM PUDER AJUDAR. MAS POR HORA MELHOR QUE NÃO ACESSEM MINHA PÁGINA, APESAR DE QUE SE VOCÊ LER ISSO É PORQUE ESTÁ ACESSANDO, DESCULPEM O TRANSTORNO A INTERNET, VÍRUS E HACKERS SÃO UM BANDO DE FILHO DA P...

9 de set de 2011

A 1ª surpresa a gente nunca esquece!

Nessa mesma data um ano atrás eu voltava pra casa a noite, depois de trabalhar o dia todo ainda tomei uma cerveja no bar do hostel e fiz meu caminho de volta, ao sair do metrô já perto do apartamento ela me ligou mais uma vez, pra saber como estavam os preparativos pra minha comemoração, eu confessei estar um pouco desanimada por ela não estar ao meu lado e fomos conversando até eu chegar em casa. No elevador ao abrir a porta no meu andar, ainda com ela na linha eu vi a luz do meu apê acesa e a porta se abrindo e saindo de lá, advinha? Ela, me causando umas das maiores alegrias da minha vida, minha 1ª surpresa. Cai no choro, sem acreditar que ela tinha armado tudo com o meu roomate pra estar lá, exatamente na hora que eu voltasse pra casa, no dia do meu aniversário...

Hoje é meu aniversário!!!

Meu Aniversário - Vanessa da Mata

Hoje é meu aniversário
Corpo cheio de esperança
Uma eterna criança, meu bem
Hoje é meu aniversário
Quero só noticia boa
Também daquela pessoa, oba

Hoje eu escolhi passar o dia cantando
De hoje em diante
Eu juro felicidade a mim
Na saúde, na saúde, juventude, na velhice
Vou pelos caminhos brandos
A minha proposta é boa, eu sei
De hoje em diante tudo se descomplicará
Com um nariz de palhaço
Rirei de tudo que me fazia chorar
Cercada de bons amigos me protegerei
Numa mão bombons e sonhos
Na outra abraços e parabéns

Quero paparicações no meu dia, por favor
Brigadeiros, mantras, músicas
Gente vibrando a favor
Vamos planejar um belo futuro pra logo mais
Dançar a noite toda
"Maria Rita, Roberta Sá e Marisa"

Parabéns, Natasha!
Parabéns, Mãe!
Parabéns, Susan!
Parabéns, Dani!
Parabéns, Danah!
Parabéns, Jackie!
Parabéns, eu! Parabéns, eu!

Parabéns, Luis Carlos!
Parabéns, Junior!
Parabéns, Clarissa!
Parabéns, Kym!
Parabéns, Thayza!
Parabéns, Magaly!
Parabéns, eu! Parabéns, eu!

*Aos virginianos que são muitos!!!

*A todos que fazem essa data ser sempre um dia feliz, especial, família e amigos, amo muito vocês!!!

*Hoje é dia de festa e eu só quero é dar risada, OBRIGADA DEUS POR MAIS UM ANO LINDO!

*VIVA 26!!!

5 de set de 2011

Pra você, com saudade!

Tem sete dias que uma notícia vinda pelo telefone abalou o meu mundo, foi uma dor instantânea sem tamanho e sem fim. Quando estaremos preparados pra morte? Eu mesma, nunca, tenho medo do finito. Minha mãe ligou logo depois meu pai, e veio a trágica notícia de que meu primo, amigo e vizinho não fazia mais parte desse mundo terreno, ele escolheu partir. Chorei por horas e quando não tinha mais lágrimas eu paralisei. E continuo assim com o pensamento vago, e em alguns momentos o choro vem e eu deixo fluir. O luto tem que ser vivido, todas as dores tem que ser vividas porque senão elas nunca vão parar de doer. Então eu vivo bem, inclusive as minhas dores.

A vida inteira eu vou me questionar, o porquê? O que era tão difícil que o fez partir assim meu querido? Perdoe-me por querer saber algo tão particular, mas eu sou uma das dezenas de pessoas que te ama e não consegue entender sua partida tão prematura. “E se a dor é de saudade, e a saudade é de matar”. Eu queria tanto que você soubesse que lugar enorme tens em meu coração, minhas lembranças de crescer, brincar, correr só existem com você do lado e isso nunca vai mudar. Mas o vazio que sinto agora de não poder construir novas imagens é devastador.

Você era meu companheiro de todas as horas, inventávamos tantos mundos pra se divertir, queria inventar um agora onde você ainda estivesse aqui e não quisesse ir embora assim. Ei Ili volta, aqui todos sentem a sua falta, seu lugar é aqui rapaz. Nesse plano parece que a gente não vai se encontrar mais né? Mas eu tô rezando muito com toda minha fé e meu amor, pra que você tenha paz, que fique bem “e qualquer dia amigo a gente vai se encontrar”.
Com você eu fui sempre uma criança feliz, me sentia segura, éramos uma dupla infalível, nós dois contra os inimigos que as nossas aventuras traziam, quantas brincadeiras, quantas descobertas, caramba eu aprendi a andar de bicicleta com você. Obrigada por lembranças tão lindas meu querido e por ter sido por anos minha melhor metade. Te amo primo!

Hoje meu coração tá triste, tristinho, igual a música, por essa postagem ser sobre sua partida.

*Dedico a minha família, em especial ao lado Tinôco, tia Norma, tio Illimani, Mayra e Laura! FORÇA E FÉ!!!

*Rezemos muito pra que ele fique bem!
--
Postagem antiga, no começo do blog falando sobre minha infância e vale adicionar a esse texto, porque minha infância sem o Ili não sobrava muita coisa: http://beijodelingua.blogspot.com/2008/10/minha-infncia-parte-1.html

*Fui!

22 de ago de 2011

Amy Forever!

Estava de férias na minha cidade natal e no dia 23 de Julho de 2011 eu acordei umas 5 da tarde, tinha tocado numa festa na noite anterior e bebido todas. Quando levantei havia um bilhete em baixo da porta em um pedaço de guarganapo. Li, reli e não entendi, até que clareou a mente e eu consegui traduzir, estava escrito: "Claudia a Amy foi pra pólvora" na hora saquei que meu cunhado com seu humor ácido havia escrito aquilo e que Amy Winehouse estava morta. Resolvi que ia ignorar aquele fato, ia acordar, comer e depois iria confirmar o bilhete. Crei coragem, liguei a tv no Globo News e lá estava Zeca Camargo e outra jornalista que não lembro o nome falando sobre a morte de Amy. Cai num choro que ainda não cessou.
A partida dessa moça doeu em mim como se fosse alguém muito próximo. Exagero? Não, minha verdade apenas!

Desde que conheci sua música, numa ocasião muito especial até, estava viajando aqui pra Sampa afim de assistir o show da Madonna, e estava num hotel com meu amado amigo Marcos Matos e ele me mostrou vários vídeos da Amy e desde então passou a ser minha cantora favorita. Enquanto o mundo julgava as atitudes da jovem eu nunca nem pensei por esse lado, sempre vi a Amy como uma diva da música, eu nunca escutei Jazz e a partir dela passei a conhecer esse som tão diferente e maravilhoso que ela trouxe pros nossos ouvidos e almas. Chorei, de vez em quando ainda choro, ou minha garganta fecha quando penso nela, choro pelo talento que perdemos, pela vida de uma jovem que se vai, pela dor que ela carregava no peito por amar demais, choro por uma vida. Sempre defendi Amy pela sua arte, pela sua verdade em ser o que se é, e por causa disso até amizades foram pelos ares, que se fodam, sou grata a Amy por me mostrar a verdade das pessoas.

Da minha boca ou das minhas palavras você leitor nunca vai ouvir ou ler algum julgamento meu sobre Amy, ou sobre qualquer pessoa. Cada um faz o que quer da vida, e eu não tenho nada a ver com isso nem você, certo?
Senhorita Amy Winehouse entrou na minha vida pra ficar, com suas letras fodásticas (fodas e fantásticas), eu danço, eu canto, reflito, choro, dou risada, todas as emoções tomam conta quando na caixa de som, no fone de ouvido, na balada tem Amy.

*Em janeiro eu estava lá num dos melhores shows da cantora no Brasil, dei graças a Deus por ter ido e comprovando a lenda que era essa mulher quando abria a boca, que voz perfeita, que banda incrível, sim o show foi perfeito do jeito dela e pronto.

*Comprei todas as revistas com ela na capa e a Billboard Brasil tem um texto maravilhoso: "Você nunca vai fazer 28" quem puder ler, mas aqui um trecho escolhido por mim:
"E agora vocês lamentam pela Amy. Fazem novas conjecturas com os 27. Uma explicação: ela era simplesmente muito talentosa. Você não escolhe o seu playlist? Eu também. E, de quebra, preservei sua voz em Back To Black. Com o tempo, vocês esquecerão a imagem de uma artista em decadência física e se lembrarão apenas de sua grande voz. Por isso ela não fez 28."
Dona Morte arrasou nesse texto!

*Leia a Rooling Stone também.

*Já que não pude ir a Londres fazer uma homenagem (hehe) fiz o que pude aqui pra ela se sentir amada seja lá onde ela estiver. Acendi uma vela no 7º dia, fiz uma festa pra ela, intitulada Tributo a Amy, e hoje lhe escrevo esse texto, 1 mês depois de sua morte.


E tenho dito se você nunca escutou a música dessa artista, então escute, mas livre-se de todo o preconceito e escute a arte que ela trouxe ao mundo, só isso que vale a pena. E você que já conhece, escute da mesma maneira, música boa e de uma verdade tocante.
AMY FOREVER!!!

REST IN PEACE SWEET!


*Escutando sem parar a música "Wake Up Alone" do álbum Back to Black".

14 de ago de 2011

FERNANDA YOUNG SOBRE WINEHOUSE

FERNANDA YOUNG SOBRE WINEHOUSE
*Texto postado por Young em 2008

"Quem não tiver uma Amy Winehouse dentro de si que se apresente. Vai se apresentar para uma platéia vazia, obviamente, pois nessas ninguém está interessado. Mulheres que não admitem a sua dor – aquelas que são perfeitamente esquecíveis – não merecem nenhuma poesia, ou rascunho, ou rápida melodia, pois se recusam a abrir mão do conforto de uma farsa em nome de uma verdadeira vocação: a de sofrer belamente.

O Drummond escreveu que “a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional”. Um verso bonito, além de sábio, porém tipicamente masculino. Mulheres não sofrem por opção, sofrem por evolução. Nós sofremos porque percebemos coisas que os homens ainda não são capazes. Talvez, um dia.

Não há, portanto, a mulher que não sofra – há a que não se mostra. Já que o sofrimento é, para nós, uma espécie de vestido lindo, antigo e bem adornado; um Paul Poiret. À nossa disposição, no cabide. Então usaremos essa roupa, não tenham a menor dúvida. E algumas de nós o farão em público, deslumbrantemente. Como é o caso da Amy.

Você olha para ela e vê que aquela é sua maior aptidão: existir sob esse manto raro, por vezes sombrio, que a cobre. Não há nada em Amy Winehouse que não seja genuíno, e isso consegue ser gritante em sua música suave enquanto doce em sua aparência rude.
Atraente e repugnante ao mesmo tempo. Linda e digna de pena. Ora, pode haver imagem mais explícita da crucial inconstância feminina? Óbvio que é disgusting vê-la toda borrada, sem um dente, com sapatilhas a lhe denunciar as picadas que dá nos pés. Mas também é maravilhoso vê-la tão pequena, antiga de tão moderna, na medida que só os autênticos conseguem ser, e se equilibrar. Mesmo que essa idéia, a de equilíbrio, não pareça muito adequada à Amy. Para mim, é.

Amy Winehouse é um acontecimento secular, tipo Billie Holliday, Edith Piaf. A gente não tem como exigir higiene, ou conduta, ou senso de preservação, ou auto-estima, dessas mulheres. Seria pedir demais."

"Como dizer para essa moça o que ela talvez devesse ouvir? “Ei, Amy, deixe esse cara pra lá, ele não vale tanto a pena.” “Ei, Amy, faz o seguinte: toma no máximo cinco cervejas quando for ao pub.” “Ei, Amy, fume seu baseado, mas deixe o resto de lado.” Imagina a cara que ela iria te olhar?

Pela Amy Winehouse, sinto essa contradição, acho, parecida com a de todas as mulheres. Eu me identifico com a delinqüente, e a mulherona que cobre o Blake de porrada, mas me preocupo, como uma mãe com uma filha, a ponto de rezar por ela todas as noites. Uma reza sincera, para que Deus a proteja, igual faço pelas minhas meninas.

Amy, olha só: você é tão jovem... E quando fico emocionada tenho essa mania, cafona e burra, de usar reticências... Mas não!... Para a Amy Winehouse, não cabem emocionalidades baratas. A triste junkie que habita em mim não suportaria parecer uma mãezona dócil que faz promessa.
Então, mais uma dose. Por que que a gente é assim?"

"Por que bad boys são “os fodões” e bad girls são “as fodidas”? Por que os bad boys são símbolo de liberdade e as bad girls são presas para servir de símbolo? Por que bad boys são assim por rebeldia e as bad girls são assim por sem-vergonhice?
Aparentemente, o mau comportamento ficou de fora das conquistas feministas. Então que seja esta nossa nova luta: pela igualdade de direito de errar. Direito de fazer o que não se deve. De chegar em paz ao fundo do poço.

Dean Martin, Frank Sinatra, Sammy Davis Jr. e aquele outro, que eu esqueço o nome, bebiam todas, consumiam tudo, comiam qualquer uma – e eram o charmosíssimo “rat pack”.
Britney Spears, Lindsay Lohan, Paris Hilton e aquela outra, que eu também esqueço o nome, bebem uns champanhes a mais, tomam uns analgésicos, dão umas batidinhas de carro – e são as vadias bêbadas e drogadas de Hollywood.

É, o machismo acabou só para as caretas. Para as doidas continua valendo. Acho, inclusive, que as próprias mulheres têm culpa nesse atraso. Notoriamente mais competitivas entre elas, não competem apenas com a colega do lado, mas com todas as mulheres do mundo.

De Marilyn Monroe a Anna Nicole Smith, todas morreram sem uma amiga do lado. Por quê? Porque mulheres não são companheiras na sarjeta. Homens são. Ou seja, encontramo-nos no ponto em que, juntos, chegamos. Não sei se tem alguém torcendo contra a Amy Winehouse, no momento, mas, se tiver, é mulher.

Eu? Eu torço por ela mais do que pela seleção brasileira."

Por Fernanda Young.

*Um texto incrível sobre a maior voz dessa geração, assino em baixo!

8 de ago de 2011

Seguindo...

Há um tempo venho seguindo com muito amor o blog: http://linhadividida.blogspot.com/ e indico pra quem quiser ler histórias de uma VIDA. Ler cada linha de cada postagem desse blog faz bem pra qualquer um que vive, pra quem tem memória, pra quem tem saudade, pra quem ama! LEIA!

"Mas dai, chegou mais alguem...a alegria em forma de sorriso que encheu nossa casa de risadas e descontração. Morou um bom tempo conosco, suas brincadeiras eram hilárias, muito talentosa esta menina! Bons tempos! Beijos."

Nunca será o suficiente o meu agradecimento por tudo que fizeram por mim, pelo acolhimento naquela casa tão linda, aconchegante, tão casa longe de casa! Um dos melhores anos dessa minha vida. Obrigada família! #Referente ao ano em que morei em Florianópolis!

2 de ago de 2011

Fui ali, mas voltei!!!

Fui ali no Acre, viver um pouco daquela vida agora antiga, rever os amigos, a família, comer as coisas que eu mais amo na terra, ver a cidade, conferir as novidades... tudo isso será sempre muito bom, revigorante até! Mas cada vez que volto a minha terra, eu entendo mais sobre a minha vida, e só comprovo o que eu de uma certa forma sempre soube, meu lugar não é lá. Agora não, talvez um dia, talvez nunca... a gente não sabe de nada mesmo então relaxo. Foram 15 dias, senti que passou rápido, mas eu aproveitei cada segundo, em casa, comendo as minhas coisas favoritas, vendo a cidade, abraçando os meus amigos, familiares, curtindo meu pai, meus sobrinhos... um só no colo e que delícia, passei horas só vendo ele dormir, o outro brincamos até dizer chega e até ele não esquecer mais da tia Claudinha. :)



Aos amigos muito a dizer, alguns eu só vi uma única vez, outros fiquei horas curtindo uma noitada ou uma tarde agradável, uma madrugada sem fim, uma manhã... e quantas manhãs intermináveis. Me perdoem os amigos que não vi, mas eu fiz a minha parte, estive 24 horas disponível, todos os dias que estive em casa. E todos que pude abraçar uma única vez valeu a pena, e fica assim, sem dor, sem encheção de saco e sem cobrança. Se você é meu amigo mesmo e a gente não se viu? Então tem alguma coisa errada, se você furou comigo, sei lá eu vou entender, se eu furei com você ah isso não rolou não heheh. Mas esses meus dias também servem pra isso, pra rever as amizades, mas rever dessa forma, se vale ou não a pena.

Algumas pessoas eu tenho certeza que estarão sempre por perto, mesmo longe...

Curti muito, cada dia, peguei um sol, virei peixe de tanto tempo que passei na piscina, pisei na grama, comi fruta do pé, ouvi o silêncio, fiquei quieta, agitei demais, toquei música boa, ruim jamais haha, dei muita risada, chorei, gritei, fiquei calada, ouvi, contei... vivi!



E foi bom pra PORRA, aos amigos e familiares, amo vocês pra sempre!!!

Agora eu estou de volta a realidade, a vida que eu escolhi e querem saber, eu amo demais morar em sampa, que saudade do "meu" apê, eu amo minha vida paulista, pronto falei!!!

*Fiquem com Deus, fui!!!

17 de jul de 2011

Infinito Particular!

Larguei a escrita a cabeça tem até muita coisa mas tem um tempo que eu só pensava em estar aqui no meu infinito particular. Aqui eu encontro o melhor e o pior de mim, igual a música!
*CASA
Tô de férias no meu Acre amado!

um beijo e me liga!

6 de jun de 2011

Experimentando!!!

Desde que entrei na @SP Escola de Teatro muita coisa mudou na minha percepção, nas coisas que desejo, enfim. E recente tivemos um trabalho muito bacana, começo explicando que a Escola além dos cursos de atuação, e atuação em humor a SP oferece cursos em todas as áreas do teatro; sonoplastia, iluminação, dramaturgia, direção, técnicas de palco, cenografia e figurino. Bom com tudo isso podemos montar e desmontar quantas peças quiser hehehe.
O trabalho para esse semestre foi misturar toda essa gente, formando grupos com integrantes de cada curso e a proposta foi montar uma peça de 15 minutos com um texto de Anton Tchekhov, A GAIVOTA. Assim fizemos e trabalhar com pessoas tão criativas, talentosas de outros cursos foi realmente maravilhoso. Pouco tempo, muitas idéias, desencontros e encontros lindos. Cada ensaio uma evolução, uma emoção, uma dúvida e uma solução. Meu grupo encontrou uma unidade em trabalhar muito boa. Aliás vale comentar que num determinado ensaio eu tive uma explosão de sentimentos que me fizeram enxergar coisas novas e lindas. Agradeço a todos do grupo que somaram nesse crescimento.
Foi a minha 1ª personagem, tudo que já tinha feito na vida antes, tinha sido muito natural, ou muita palhaçada como a "Claudinha Bernardes" na televisão quando eu apresentava o Interligados na Tv União, em Rio Branco-AC. O fato é que foi a 1ª vez que subi no palco de um teatro e interpretei uma outra vida, e foi tão divertido, tão mágico. Desde a hora que acordei eu senti as tais borboletas voando dentro da minha barriga, uma ansiedade, um nervosismo delicioso tomavam conta de mim. Cheguei no teatro e fui acalmando, conversei com amigos, ví algumas apresentações antes da minha e bem antes de entrar em cena comecei a me arrumar, aliás a ser arrumada, pois a Alê e a Verônica da cenografia fizeram minha maquiagem e cabelo que ficou nada menos que perfeito. Estava muito calma, mesmo estando nervosa.
Eis que chega o momento de entrar, assim que entrei no palco o povo começou a gritar e eu mantive a pose, mas por dentro eu estava dando gargalhadas. Correu tudo bem por toda a cena e eu me diverti muito, mas passou tão rápido que saí de cena querendo mais, então só me resta levar tudo isso muito a sério, porque a sensação de estar num palco de teatro, representando é maravilhosa. Ai, ai!
Ainda sinto o frescor daquele sábado a tarde, ainda sinto o calor das pessoas, a alegria de ter feito um bom trabalho toma conta de mim e só posso agradecer aos céus por tanta felicidade. Minha mãe, irmã e cunhado estavam na platéia, não poderia ter estréia melhor, com o apoio da família e até mesmo uma comprovação de que a vida que levo em São Paulo me leva pra algum lugar, e esse lugar é a Atuação.
Representar foi glorioso, estávamos todos em sintonia e que felicidade de estar naquele palco. A luz estava linda, o cenário ficou ótimo, sem falar no figurino chiquetérrimo, a sonoplastia, a direção e a dramaturgia tudo deu certo e o que não deu não era pra ser e pronto.
Um agradecimento especial ao meu parceiro de cena: Robson ou Lobinho!Você arrasou meu amigo.
Um super obrigada a todos que fizeram parte do processo. Meu agradecimento pessoal aos formadores: Brian, Dani e Juliana que me ajudaram a captar a essência da personagem e na última semana me deram dicas preciosas de como trabalhar. E meu agradecimento a todos pelas devolutivas, pelas críticas, pelo carinho, pelos elogios que modéstia a parte não foram poucos, por tudo minha gente. Me encontro num momento mágico da minha trajetória paulistana! Que venha muito mais!!!

GRUPO 6 - EXPERIMENTO Módulo Verde.
Dramaturgia: Cristiane Santos, Marco Silva e Patrícia Negrão.
Direção: Eidglas Danilo, Letícia Campos e Lucas Vitorino.
Sonoplastia: Cauê Andreassa.
Cenografia e Figurino: Alessandra Tafuri e Verônica Sayuri.
Técnicas de Palco: Aiane de Toledo e William Alves.
Iluminação: Aline Lima, Lui Seixas e Núbia Gennari.
Atores: André Gomes, Caroline Duarte, Everaldo Paulo, Robson Rivera e Vanessa Alvarenga. E eu!!!
*Faltou alguém?

Valeu gente, parabéns ao povo da SP, a todos os amigos que atuaram, a todos os cursos pelo empenho e trabalho árduo. A iniciativa da escola em fazer os alunos se integrarem. O dia do experimento, foi um dia muito rico em todos os sentidos. Parabéns a todos!!!

2 de jun de 2011

Eu ando tão Gal!

Meu nome é Clau
E desejo me corresponder
Com uma moça que seja a tal
Meu nome é Clau
E não faz mal
Que ela não seja branca, não tenha cultura
De qualquer altura
Eu amo igual
Meu nome é Clau
E tanto faz que ela tenha defeito
Ou traga no peito
Crença ou tradição
Meu nome é Clau
Eu amo igual
Ah, meu nome é Clau

Meu nome é Clau tenho 25 anos
Nasci na maternidade Bárbara Heliodora, Acre
Todo dia sonho alguém pra mim
Acredito em Deus, gosto de balada, cinema
Admiro a filha e Elis, Ana, Adriana, Roberta,
Tom, Chico, Vinicius, Hermanos
E o pessoal da pesada
E se um dia eu tiver alguém com bastante amor pra me dar
Não precisa sobrenome
Pois é o amor que faz o homem.


*Eu ando tão Gal!

22 de mai de 2011

Feliz 1 ano pra mim!

No dia 09 de maio de 2010 eu tava desarrumando minhas malas em outra cidade em busca de um futuro que ainda está se formando na minha cabeça. Saí do meu conforto, do meu lar pra tentar a sorte na "cidade grande". Sigo tentando. Comecei uma nova vida, em São Paulo, em uma casa diferente e durante uma semana dormi num sofá-cama duro que só a peste, mas logo comprei minha cama, aquela que ia aguentar muita coisa dali pra frente. Nos primeiros três meses eu dormi mal, chorei algumas vezes e ainda choro de vez em quando, mas é sempre de saudade viu. E em menos de um mês morando em São Paulo eu conheci alguém que se tornaria parte especial dessa nova fase, alguém que eu penso todos os dias e sonho com o dia que eu poderei ficar sempre perto e viver essa história com tudo que ela tem direito.

Desde o dia em que pisei nessa terra tudo mudou, minhas ideias, meus sonhos, meus pensamentos, meu modo de viver, de ver, de sentir e de ser. O que não fazia sentido passou a fazer e amei cada dia desse 1º ano aqui. Lógico nem tudo são flores, o metrô lotado vai continuar me irritando pra todo o sempre, as buzinas e o barulho de cidade grande nunca vão parar, mas, essas pequenas coisas não são nada perto de tudo que eu tô construindo na Selva de Pedra. Ok engordei alguns quilinhos, culpa da facilidade e gostosura de tudo que tem por aí, mas criei vergonha na cara e tem duas semanas que tento frequentar uma academia. Eu ando tanto aqui que achava que minhas caminhadas do dia a dia já eram suficientes, só me dei conta de que não quando a balança disse: ei roliça!
Tive um segundo momento de renovação quando aluguei um apê junto com meu querido amigo Thyago, passei a ter um lar, um lugar livre alugado mas meu, mêu! Meu quarto onde descanso a cachola, minha cozinha onde tento inventar novidades, minha sala onde o bate-papo, a novela e as besteiras rolam solta, o janelão da sala que tem uma vista pra esse mundo de prédios, meu banheiro gigante que tem até banheira, mas faço dela uma revistaria porque não funciona, enfim um lugar nessa SELVA que chamo de meu. Onde eu adoro voltar correndo pra me trancar com meus pensamentos. Nesse 1 ano de vida em São Paulo já tenho algumas coisas favoritas de fazer, ver, comer... Um lugar que adoro ir seja pra comer ou simplesmente pra estar é o bairro da Liberdade, o bairro japonês que tem muita comida deliciosa e nos finais de semana fica difícil achar um lugar, mas vale também pelas lojinhas e vendas com produtos importados, dá pra comprar um refrigerante japonês, e comprar um shimeji fresquinho. Outro lugar que amo ir é o coração da cidade, Avenida Paulista, sempre um bom passeio. A rua que mais vou é a famosíssima Augusta, que tem de tudo pra todos os gostos, bom pra noitada cultural ou bagaceira. E descobri junto do meu amigo Marcos o melhor lugar pra se comer uma coxinha de frango, pão de queijo, torta de limão e queijadinha, juro é a melhor queijadinha do mundo, "Pão de queijo da Haddock Lobo". Essa cidade é grande demais, nem morando 100 anos aqui dá pra conhecer tudo e isso é que torna a vida aqui mais interessante, há sempre uma novidade. A vida profissional me mostrou que tenho vez aqui só depende de mim. O curso que tô fazendo é a melhor coisa que eu poderia ter escolhido na vida, o teatro está me transformando, tô aprendendo tanto sobre tantas coisas e até sobre eu mesma. Quanta descoberta. Sem falar na troca incrível com as pessoas que divido esse momento, os outros alunos, os formadores, ah os formadores eles são divinos, quisera eu ter sempre tido mestres como Juliana Jardim e Dani Biancardi. Bom há um mês e pouco estamos fazendo um trabalho na escola onde iremos fazer uma peça de 15 minutos com um determinado texto, e ontem no ensaio no teatro eu tive tanta certeza de que é isso que eu preciso fazer a vida inteira, porque eu sou isso. ♬ Sampa disse: Pá, meu! Sonho disse: Marrapaz! O Mundo é bem mais que o seu quintal... ♪ Os amigos, alguns hoje não passam de lembranças, outros que surpresa boa, e alguns se tornaram mais que amigos, ganhei irmãos pra vida toda aqui. Sem falar nos novos amigos, esses paulistas, mineiros, baianos, cariocas, mato-grossenses, brasilienses... esse povo todo que tenho conhecido por aqui: Vocês são deliciosos viu? Um ano de vida longe do meu Acre, longe da minha família, dos meus amados amigos é FODA mas eu lhes digo foi a melhor coisa que eu fiz. Bendito dia em que eu acordei e vi que tava tudo errado e que já estava mais do que na hora de consertar. São Paulo agora faz parte do que eu sou e quero ser. Que venha o mundo pois eu não paro mais.
*Beijo a todos que tornam essa distância de casa menos dolorida!

8 de mai de 2011

É dia da mãe!

Eu nem imagino o que é ser mãe, enquanto ainda sou muito filha. Mas suponho que seja a maior tarefa de uma mulher, e me dá orgulho perceber as incríveis mães ao meu redor. As mães de longa data, as mães de 1ª viagem e as futuras mamães que agora carregam seus babys no ventre. Eu já sou tia e madrinha e amo tão loucamente os pequenos que fazem parte da minha vida que vejo o amor de mãe como algo insuperável, de certo o maior amor que existe.

Mas esse ano tem duas futuras mamães que eu gostaria muito que soubessem o quanto tenho orgulho de vocês; uma delas foi pega de surpresa mas no primeiro instante já começou a amar incondicionalmente sua cria e vive uma injustiça do destino, mas ainda é tempo de lutar e saber que enquanto tivermos fé e força, temos tudo. A outra queria tanto ser mãe, que encomendou numa clínica de fertilização o seu filho, sem medo de criar sozinha os filhos pois são gêmeos que estão pra chegar. E o que essas duas futuras mamães tem em comum? Força, bravura e amor!

Ei mães, vocês tornam o mundo mais belo e perdoem vossos filhos quando não percebem sua magnitude. MÃE SABE TUDO, escutem as suas, filhos tolos!

E lógico tenho que falar da minha mãe, que orgulho dela, sempre presente e pronta pra fazer tudo por um dos seus. Minha mãe é a maior fonte de inspiração possivel, é força, superação, bondade e amor, sempre amor. Eu não sei o que seria da minha vida sem essa mulher maravilhosa que me guia sempre na fé de que tudo vai ficar bem. E fica mesmo. Minha mãe é a fortaleza do meu mundo e eu só posso desejar que ela seja muito feliz e que continue sendo sempre esse exemplo de mulher, a mais verdadeira que já conheci. E quando eu crescer, quero ser igual a ela!!! Sem falar que ela é LINDA, ELEGANTÉRRIMA E A MELHOR MÃE DO MUNDO!
TE AMO ETERNAMENTE DONA KÁTIA!!!

Feliz dia das MÃES, a todas que amam e cuidam de seus filhos!

4 de mai de 2011

ADELE

Acho que tô atrasada em descobrir essa pérola chamada ADELE, mas só agora pela dica do meu best friend Estevão ela entrou na minha vida e não escuto outra coisa. É tão bonito o som que essa britânica faz que eu não me acho capaz de definir, sei lá é FINO! Meu amigo me enviou uma faixa: 'Someone Like You' e logo veio um choro, aí percebi que tinha que ouvir tudo, pois ela tocava em algum lugar aqui dentro e isso meu caro leitor, é música! No dia seguinte fui à loja mais próxima e ao entrar adivinha o que tocava? Adele! Trouxe-a pra casa e já tem uns quatro dias que ela canta, coitada, vai ficar rouca. Mas eu sou assim mesmo quando gosto de algo. O álbum que falo chama '21' e pode se dizer: é uma obra de arte musical.
Adele é um som potente, mas que traz certa calma e um bem-estar, apesar das letras falarem exclusivamente de amor, ou não amor, de sofrer, de virar o jogo, de entrega e dessas dores que só o amor faz com a gente. São letras que se aproximam do nosso cotidiano, a poesia é humana. Tô completamente apaixonada por ela, por todas as músicas do cd 21, vale comentar a versão dela para 'Lovesong' do The Cure. ESPETACULAR.
"A Official Charts Company anunciou que Adele é a primeira artista a alcançar, ainda viva, a ter uma canção e um álbum como número um ao mesmo tempo na Inglaterra desde Os Beatles em 1964."
Quebrando todos os recordes possíveis, Adele chega pra marcar história na música internacional, OUÇA!



http://www.adelebrasil.co.cc
http://www.adele.tv

*Coincidência ou não hoje é aniversário da ADELE, 5 DE MAIO!!! PARABÉNS ENTÃO A ESSA DIVA!!!

1 de mai de 2011

Exposta!

De todas as formas eu tenho me sentido exposta, não sei explicar mas parece que está tudo muito claro, eu sei o que eu quero, o que eu sinto, o que eu preciso fazer, um clarão se abriu em mim. Penso no quanto isso é bom, mas ao mesmo tempo sinto medo, ai um medo bobo que não me deixa dar outros passos. Tô empacada feito uma mula, tô tão cheia de sensações, sentimentos, acho mesmo que vou explodir, e não recolham os pedaços que eles se juntaram pela caminhada.

*Explodir as vezes é bom!

*Estudar teatro dá nisso!

13 de abr de 2011

É dia do Beijo!

Alguém que devia gostar muito de beijo lá em 1982 resolveu que hoje dia 13 de abril deveria ser o dia Nacional do Beijo, ok o calendário ta aí pra isso. Todo dia é dia e tudo em nome do amor, né? E quem não gosta de beijo? Quem é louco de não gostar de uma das melhores coisas da vida heim? Se bem que tem doido pra tudo. Mas não é o meu caso e tenho certeza que não é o caso de você aí que tá lendo.
Beijar é bom demais, tanto que o nome desse blog que vos fala é "Beijo de Língua", apenas uma das modalidades de beijo, a mais utilizada acredito. Mas tem muitas formas de beijar segundo a matéria abaixo tem umas 480, que tal? Vamos começar a praticar, quem terminar 1º avisa!

http://estilo.uol.com.br/comportamento/ultimas-noticias/2010/04/13/no-dia-do-beijo-aprenda-dicas-e-truques-com-especialistas.htm

Mas beijo é bom de tudo que é jeito, eu honestamente detesto os super molhados, com aquela saliva toda na sua boca ECA! Um aviso até, não me venham com esses beijos melados não. :)
Ah o beijo é o 1º passo pra todo o resto não é verdade? Se o beijo é ruim, se não combina, não cola, acho que nem vale a pena seguir em frente, e quando o beijo encaixa, tudo ao redor parece encaixar também. Algumas vezes senti isso, a última vez foi arrebatador, eu senti como se o destino tivesse me colocado exatamente ali pra dar aquele beijo. Foi perfeito!

BEIJEM MOOOOOOOITO que faz bem pra alma e até emagrece.

FELIZ DIA DO BEIJO.

Ah comenta aí e diz que tipo de beijo te agrada ou me conta uma história envolvendo beijo vai!

3 de abr de 2011

Já era hora!

Eu sempre gostei muito mas muito mesmo da Adriana Calcanhotto, e tava com saudade de ouvir coisas novas dela sem ser "Partimpim", apesar de também achar esse trabalho dela lindo. Mas a saudade era de bossa, verso e rima com cara de Adriana. Som de sentimento, batida que pega no coração e melodia que invade a alma, é assim que eu sempre ouvi a senhorita Calcanhotto. E eis que hoje navegando pela net descubro que ela acaba de lançar um Cd totalmente inédito fresco e saboroso: O Micróbio do Samba.
O Cd começa com uma música chamada "Eu vivo a sorrir", uma letra maravilhosa: "Eu vivo a sorrir pro acaso do acaso estar num bom dia...".
Adriana em samba casa como uma luva! Um samba miudinho com a voz linda dela entoando notas perfeitas e letras tão gostosas que dá vontade de levantar e dançar sozinho com os olhos fechados.
Experimenta: http://www.radio.uol.com.br/#/album/adriana-calcanhotto/o-microbio-do-samba/22098?cmpid=lkfb-rad-al
Nesse link você pode ouvir o cd todo na rádio uol, divirta-se!

BEIJOS bom ABRIL!

2 de mar de 2011

Made in Acre

Do Acre eu vim e pra lá devo voltar
Sim meus amigos essa terra existe e eu nasci lá.
No início era Aquiry, mas na hora de escrivinhar o cara se deu a errar e Acre passou a chamar.
Acre vem do rio que banha a capital, um rio de águas barrentas que mais parece um lamaçal.
(Rio Acre)
E Rio Branco que dá nome a capital não vem de rio não, vem do tal Barão.
(Barão do Rio Branco)
O cara que assinou o contrato e trouxe pro Brasil mais um estado.
Acre, rio estranho que não vê o mar
Lá tem jambo, jambú e tacacá
Tucupi, açaí e ingá
Castanha que não é do Pará
É daqui, é de lá
Pupunha, Tucumã e mugunzá
Xapuri, Taquari e Quinoá.
O que é tudo isso?
Um índio a falar?
Não. Eu digo já.
É tudo coisa que tem por lá,
Pra comer, ver e estar
O Acre é terra boa impossível de não amar
Mas hoje é na selva de pedra que eu quero ficar.


*Desafiada na aula de teatro eu tive que fazer qualquer coisa numa 1ª amostra de quem eu sou na classe, e como o fato de ser do Acre causou certo frisson na galera, resolvi me pôr a escrever sobre minha terra, e assim o fiz.

->Inspirações
*Ao escutar: Filomedusa e Pia Villa.

*E ao ler (e reler) "A Ver o Acre" do meu amado chefe Gilberto Braga de Mello.

BEIJOS ME LIGA!