Sinta-se beijado(a)

A língua é o único músculo que diz a que veio. Eu falo o que penso, eu conto o que vejo, eu compartilho o que gosto, eu exponho meu modo eu me mostro. É um espaço meu, seu, é universal assim como o Beijo! Fique a vontade e divirta-se!

2 de mar de 2011

Made in Acre

Do Acre eu vim e pra lá devo voltar
Sim meus amigos essa terra existe e eu nasci lá.
No início era Aquiry, mas na hora de escrivinhar o cara se deu a errar e Acre passou a chamar.
Acre vem do rio que banha a capital, um rio de águas barrentas que mais parece um lamaçal.
(Rio Acre)
E Rio Branco que dá nome a capital não vem de rio não, vem do tal Barão.
(Barão do Rio Branco)
O cara que assinou o contrato e trouxe pro Brasil mais um estado.
Acre, rio estranho que não vê o mar
Lá tem jambo, jambú e tacacá
Tucupi, açaí e ingá
Castanha que não é do Pará
É daqui, é de lá
Pupunha, Tucumã e mugunzá
Xapuri, Taquari e Quinoá.
O que é tudo isso?
Um índio a falar?
Não. Eu digo já.
É tudo coisa que tem por lá,
Pra comer, ver e estar
O Acre é terra boa impossível de não amar
Mas hoje é na selva de pedra que eu quero ficar.


*Desafiada na aula de teatro eu tive que fazer qualquer coisa numa 1ª amostra de quem eu sou na classe, e como o fato de ser do Acre causou certo frisson na galera, resolvi me pôr a escrever sobre minha terra, e assim o fiz.

->Inspirações
*Ao escutar: Filomedusa e Pia Villa.

*E ao ler (e reler) "A Ver o Acre" do meu amado chefe Gilberto Braga de Mello.

BEIJOS ME LIGA!