Sinta-se beijado(a)

A língua é o único músculo que diz a que veio. Eu falo o que penso, eu conto o que vejo, eu compartilho o que gosto, eu exponho meu modo eu me mostro. É um espaço meu, seu, é universal assim como o Beijo! Fique a vontade e divirta-se!

4 de fev de 2010

Universo Paralello - capítulo 1 - A saga!


Festival do amor!

Há um tempo ouvi falar do Universo Paralello e não tinha a menor idéia do que era. Os amigos envolvidos na cena eletrônica da cidade e do Brasil começaram a movimentar uma turma pra ir ao tal festival. Depois de me informar, de fazer orçamento, de desistir umas duas vezes, decidi finalmente ir. E quando as empresas aéreas ficaram contra a minha vontade, pensei mais uma vez que ia ter que adiar a viagem, pois não conseguia voo até a Bahia, local do festival. Meia hora depois de ir em todas as agências da city e ver que não tinha jeito de ir, meus grandiosíssimos amigos, Elenilton e Henrique me ligam dizendo que um novo esquema foi formado, pra quem não conseguiu passagem. Vamos de avião até Brasília e de lá seguimos de carro com outro elemento, Rodrigo. Dito, feito e combinado!

25 de dezembro, dia "D" hora de arrumar as tralhas e partir. Em Brasília o encontro de vários integrantes dessa trip, teríamos que passar o dia na cidade resolvendo coisas e no dia seguinte partiríamos de carro. As 4:00 da madruga hora de levantar, fui a 1a e mais afobada, acordei todo mundo, me organizei e botei pilha: bora que o universo não espera! Lá pelas 6:00 estávamos finalmente na estrada, o dia seguiu com uma viagem incrivelmente bela, especialmente quando chega no estado da Bahia. Uns chapadões incríveis, de chorar! Alias eu chorei, num desses momentos de beleza natural, no som do carro Viva la vida - Coldplay, na pele arrepios e no rosto lágrimas. De felicidade é claro!

Cantei a pedra, vamos chegar meia-noite no festival. Seguimos direto de Brasília, para o local do evento no interior da Bahia, e chegamos lá na porta do festival exatamente meia-noite. No outro dia começaria a brincadeira, mas ainda tinhamos umas horas de tragédia e perrengue: arrumar a barraca no escuro! Foda foi carregar aquele monte de tralha pra cima e pra baixo, atrás de camping, pois boa parte já estava tomada pelos tranceiros!

As 4 da madruga conseguimos concluir nosso camping e fomos dar uma merecida volta. Ainda tudo escuro mas já era possível ver a magia, muita gente, praia linda, um céu magnífico e ali num repouso na areia, todos contemplando o céu a gente sentiu que não tinha a menor idéia do que vinha pela frente.

Umas 8, o dia chega e a gente não consegue mais ficar ali dentro da barraca e do camping: é hora de curtir! Comidinhas pra dentro, kit rua e vamos. No kit, dinheiro, fichas do bar, cigarro, chiclets, óculos de sol, protetor e por aí vai. Cada um faz seu kit. E vamos a la praia ooo, gente pra todo lado, praia linda, as pistas de dança inexplicaveis e muito sol.






Sabíamos que era só o primeiro dia, mas não que seria pra sempre.

To be continued...