Sinta-se beijado(a)

A língua é o único músculo que diz a que veio. Eu falo o que penso, eu conto o que vejo, eu compartilho o que gosto, eu exponho meu modo eu me mostro. É um espaço meu, seu, é universal assim como o Beijo! Fique a vontade e divirta-se!

28 de nov de 2011

Eu perdi...

Quando eu era jovenzita (não que seja velha) eu até me vi entrando na igreja e casando, sempre achei bonita essa cena, o glamour das festas de casamento e tudo mais. O tempo passou e definitivamente essa visão minha entrando de noiva numa igreja não vai rolar, só se eu quiser arrasar na modernidade enfim, mas não é sobre o meu casamento que eu quero falar nesse post.

Minha melhor amiga-irmã dessa vida resolveu se casar, o que é ótimo, super aprovei o noivo hehehe que é um doce de pessoa e só posso desejar que seja eterno enquanto dure e que dure. Depois que me mudei pra São Paulo, automaticamente comecei a perder todas as coisas na minha vida acreana, isso é óbvio, mas perder esse casamento foi o tipo de coisa que eu não poderia ter perdido nunca, mas perdi. Quando soube da data tentei me arquitetar daqui pra ir, rolou um movimento dos familiares e amigos pra que eu fosse, mas ficou difícil por vários motivos, minha vida é em sampa e dar um pulo no Acre não é logo ali né.

Perdi e sinto que perdi uma memória linda de ver minha amiga entrando na igreja toda fina, chiquérrima que ela devia tá, perdi o deslumbre com a decoração da igreja, da festa, perdi o champanhe e o brinde, perdi a entrada do casal, perdi de ver a tia Adelaide chorando no altar, perdi de estar lá chorando junto, perdi o tio João todo elegante levando a noiva, perdi de estar rindo a noite toda com os amigos, perdi as daminhas Maria Clara e Manuela, perdi de tomar uma com meu pai, de dançar com meu irmão, perdi a cara de bobo feliz que o noivo devia tá, e perdi de ver minha amiga brilhando no dia mais importante da vida dela, eu perdi o casamento da minha melhor amiga.

A dor que senti todos esses dias foi dilacerante, chorei, fiquei triste, chorei mais um pouco e ainda choro hehehe, parece bobagem, mas é como eu disse sinto como se tivesse perdido uma memória, um momento importante, mas não é culpa de ninguém, eu escolhi morar longe dos meus amores em busca de estudo, sucesso, crescimento e etc. E vou continuar perdendo as coisas, enquanto estiver aqui, quando estiver lá...
No dia eu tentei ficar bem, mas foi impossível eu não conseguia parar de pensar em tudo, criei minhas próprias imagens na cabeça, a festa aconteceu no meu coração, no meu pensamento até os últimos minutos, minha energia estava inteira presente naquele dia, com ela, com a minha irmã, eu acho que ela sabe disso né Lú?

Nesse dia saí do trabalho umas 6 da manhã e fui tomar uma cerveja com meu gerente pra extravasar e tal, a conversa foi até mil horas depois, com a 2ª parte na minha sala ouvindo boa música e tomando uns bons drinks. Resolvi entrar no facebook pra bisbilhotar, bêbada, a 1ª atualização era de um amigo com fotos do casamento, então eu a vi toda perfeita, num vestido absurdamente lindo, parecia uma capa da VOGUE NOIVAS, quanto vi a foto veio um choro instantâneo de criança mesmo e pra parar vixeee, mas tudo bem eu tinha que deixar rolar. Felicidade, amor, saudade, um mix de coisas veio na hora e tudo bem sou humana e sou chorona mesmo. De todas as dores que tive nesse 1 ano e 7 meses de vida paulista, a dor de perder esse momento foi a maior de todas.

Lú tudo isso foi só pra te dizer o quanto eu senti de não estar presente nesse dia tão maravilhoso, só posso te desejar toda a felicidade do mundo nêga, pra você e pro Rafael seu marido que chique! Não entendo nada de relacionamento, casamento, mas pra tudo na vida tem umas palavrinhas que a gente além de não esquecer tem que praticar: amor, compreensão, amizade, desapego, carinho, paciência, sabedoria enfim... EU DESEJO TUDO DE MELHOR PRA VOCÊS DOIS!!!

24 de nov de 2011

A pele que habito!

Como sempre falo das coisas que vejo aqui, não podia deixar de falar do último filme a que assisti essa semana: A PELE QUE HABITO, do mestre ALMODÓVAR.
Na verdade não dá nem pra dizer muito sobre, pois é o tipo de filme que não dá pra contar um detalhe que pode estragar tudo. O filme é interessante do começo ao fim, a forma que a história se desenrola é de cair o queixo, é muita informação, é um remelexo com o seu interior, um confronto interno de amor, ódio, paixão e tudo mais. Não dá pra contar sobre, é preciso ver. Pra quem gosta dos filme do Almodóvar, um prato cheio e pra quem curte uma boa história, fica a dica.

Na minha opinião é um filme SUPER ULTRA FODA. INCRÍVEL :)

21 de nov de 2011

Não existe mesmo?

Não Existe Amor Em SP - Criolo

Não existe amor em SP
Um labirinto mistico
Onde os grafites gritam
Não dá pra descrever
Numa linda frase
De um postal tão doce
Cuidado com doce
São Paulo é um buquê
Buquês são flores mortas
Num lindo arranjo
Arranjo lindo feito pra você

Não existe amor em SP
Os bares estão cheios de almas tão vazias
A ganância vibra, a vaidade excita
Devolva minha vida e morra afogada em seu próprio mar de fel
Aqui ninguém vai pro céu

Não precisa morrer pra ver Deus
Não precisa sofrer pra saber o que é melhor pra você
Encontro duas nuvens em cada escombro, em cada esquina
Me dê um gole de vida
Não precisa morrer pra ver Deus

*Tô atrasada em escutar Criolo, e já me disse tanta coisa, caceta o cara é o CARA! Preciso ouvir tudo dele já e se você tá perdido que nem eu, fica a dica. Letra linda essa que tô postando e a melodia é maravilhosa!

*Voltarei as postagens, tenho um monte de coisas pra escrever!!!

BEIJOS