Sinta-se beijado(a)

A língua é o único músculo que diz a que veio. Eu falo o que penso, eu conto o que vejo, eu compartilho o que gosto, eu exponho meu modo eu me mostro. É um espaço meu, seu, é universal assim como o Beijo! Fique a vontade e divirta-se!

8 de out de 2008

Minha infância

Da minha infância trago a lembrança de joelho ralado, de subidas em árvore, de tanta diversão com os primos e amigos. De convivência com animais, sempre tivemos cachorro em casa. De viagens com a família na antiga Caravan e depois no Santana, o cheiro de hotel, o café da manhã, as saídas ainda na madrugada. Praia, shopping e parques de diversão. Memórias frescas.

Tive como grande companheiro nas brincadeiras e aventuras, meu primo e vizinho Ilimani, nós aprontávamos tudo juntos. Na parte de trás da minha casa eu subia num saudoso cajueiro e me comunicava com ele, estávamos separados apenas por uma rua batida em terra. Houve uma época que o telefone foi substituído pelo walk-talk: Claudinha para Ilimani, câmbio, vamos brincar. Infinitas vezes dormi na casa dele, conversávamos tanto.

Nas brincadeiras estavam incluídos: comandos em ação, playmobil, jogos de tabuleiro, video-game, internet, bate-papo… Outro primo que fez parte da minha infância foi o Leandro, ele sempre foi muito divertido e o famoso “gaiato”, era sempre muito bom estar com ele, eu dormia na casa dele, ele na minha, jogávamos futebol, andávamos de bike, e tudo que era brincadeira, muitas vezes estávamos os 3, eu Ilimani e Leandro. Fazíamos colônia de ferias, íamos pro sítio, piscina e correria naquele mundão.

Éramos adeptos de esportes americanizados. Meu irmão foi pra Disney e nos trouxe um kit de beisebol, o ili tinha um kit de hóquei, a verdade é que a gente inventava de tudo pra se divertir. Tinhamos uma infinidade de brincadeiras ao ar livre, lembro perfeitamente de uma mala que o Ilimani sempre carregava quando íamos brincar, uma mala cheia de acessórios, arminhas, espadas, tudo que era necessário para uma tarde de polícia e ladrão, da manja de power rangers, ou coisa parecida! Sem dúvida os dois eram meus melhores amigos, parceiros, cúmplices e hoje fica a lembrança de uma infância muito feliz.

Também brincava de Barbie com as amigas, filhas dos amigos dos meus pais, e até hoje grandes amigas. Tinha a Carol, a Aninha, a Keka, nós três com a mesma idade estávamos sempre juntas nos divertindo com as barbies, playmobil e conversinhas de menina! As três tem fundamental importância na minha história, e até hoje temos amizade, carinho e muita consideração uma pela outra.
Teve a fase das idas pra Fortaleza do Abunã-RO, um balneário onde nossos pais sempre tiveram casa, era na praia o dia todo, churrasquinho no palito, voltas na banana, passeios de barco, trilhas no meio da mata, a noite era cada um com sua lanterna e sempre rolava um baralho básico, ou a brincadeira clássica da verdade ou consequência, cai no poço isso quando juntava a turma toda, aí rolava um monte de histórias, sessão de piadas, histórias de fantasma…

Uma grande amiga que merece destaque nesse texto é a Carol, desde pirralhinhas nos conhecemos e hoje continuamos amigas, ela casada tem duas filhas lindas, sem falar no marido que é maravilhoso. Certa vez ela passou duas semanas na minha casa, enquanto os pais dela viajavam, foi muito legal, a gente brincava o dia todo, alugamos um monte de fitas de video-game, na época super-nintendo, jogos como: olímpiadas, Mario… Teve um dia na casa dela que fizemos uns videos, um tele-jornal, tudo da super imaginação das crianças: eu, Carol, Aninha e Thyago. Tempo bom.

Na Tv me prendia com o eterno Pica-pau, Caverna do dragão, cavalo de fogo, Chavez sempre uma boa risada e assistia todos os filmes da Turma da Mônica, dos Trapalhões e da Xuxa. Sessão da tarde rolava sempre um clássico, lembro que o meu filme favorite passava sempre: Flashdance. Apesar de hoje ver que ele tem um conteúdo adulto, era o filme que eu mais adorava, por causa da dança, das cores e da Jennifer Beals. Há uns 3 anos atrás eu vi o dvd numa loja, e comprei.

Tive uma infância com muito mais riso do que choro, com mais sim do que não, com mais arranhados externos do que internos. Sabores e aromas inesquecíveis, a canja de galinha da tia Margarida, o bolo de todo sábado na bisavó Marieta, as frutas tiradas do pé, as festas de aniversário, sacolinhas, balas, doces e pirulitos…
Posso até ter crescido mas ainda adoro milhões de coisas que adorava naquela época: doce, salgadinhos Elma Chips, desenhos, video-game, pipoca, brigadeiro…

De tudo que vivi na minha infância só tenho certeza de uma coisa: EU SEMPRE SEREI CRIANÇA!

4 comentários:

MASA disse...

AINDA BEM QUE TU BRINCOU, CORREU, PULOU, CAIU...E CRESCEU!!!
AGORA POSSO TE QUERER CADA VEZ MAIS, QUE NÃO É PEDOFILIA...AIUHIAEUHAEIUAHEIAEUHEIAUH


NÓS SOMOS ZOÓFILOS, JÁ DISSE QUE SOU TEU CACHORRÃO!!!!

Victor Manfredine disse...

poxa menina!
lendo seu texto agora me senti tão bem.. lembrando de quando era criança também..
dá logo aquela saudade chata..
mas o bom é poder lembrar disso tudo junto com as mesmas pessoas que estiveram lá com a gente.
aí a gente revive e vive tudo de novo. pra ter o que lembrar no futuro não é mesmo?
muito bonita sua infância.
beijO =]

Angela Carolina disse...

Queridona, acho q eu tb serei sempre uma criOnça hahahaha
Feliz dia das crianças!
Beijos, beijos

Pitty que Pariu disse...

A infância diz muito de um adulto. De certa forma eu não cresci, e sequer tenho a intenção de exterminar a criança que vive em mim.

Beijo