Sinta-se beijado(a)

A língua é o único músculo que diz a que veio. Eu falo o que penso, eu conto o que vejo, eu compartilho o que gosto, eu exponho meu modo eu me mostro. É um espaço meu, seu, é universal assim como o Beijo! Fique a vontade e divirta-se!

24 de out de 2010

Benditas máquinas!

Um complô generalizado da tecnologia se montou contra a minha pessoa nesse domingo. Tenho o hábito de não desligar o meu celular por nada nessa vida, até porque meus contatos de trabalho são através dele, minha família e amigos, enfim, há anos que o celular é meu principal meio de contato. E hoje eu o desliguei, e advinha o que aconteceu? Morrééééééu! Não funciona, não tenho acesso a nada nele, e bateu um leve desespero porque o único telefone decorado é o da minha mãe, menos mal né. Mas achei num papel "aquele" telefone que eu jamais poderia não ter, mas não tinha, decorado. Porque eu desliguei o telefone? Fui fazer uma prova de vestibular, achei de bom tom desligar ao invés de silenciar, me lasquei não funciona mais, agora é ir numa loja e ver qual é, isso se resolver por lá, odeio assistências no geral. Quem gosta né?
Conformada já no meu ap. tentei usar o telefone fixo, esse que comprei há 2 meses, e só tenho mesmo por causa da internet, já quis usá-lo várias vezes mas não consegui, abstraí, simplesmente nunca consegui fazer uma ligação, por quê? Não sabia mesmo usar até que hoje de tanto precisar falar com alguém eu consegui, mas não foi só a força de vontade e a reza não, é como um jogo de tentativas infinitas que uma hora você ganha, ganhei, descobri como se faz ligação no sistema "telefônica" de ser. Mas como assim não conseguia ligar? Você deve se perguntar. Gente juro que não era só discar o número e tcham você fala com alguém do outro lado. Rola uma coisa tipo: disque *015 espere uma voz que diz: agora digite o número desejado... e depois = tututututu.
De tantos tutututu e de tantos vai tomar no tututututu eu desisti, confesso que de vez em quando ainda tentava ligar, até que hoje consegui, ainda bem, era importante. Descobri que interurbano eu não preciso digitar operadora nenhuma, pq a tal "telefônica" me obriga a usar única e exclusivamente a sua operadora. Que ótimo não é. Bom matei a charada.
E o mundo eletrônico continuava contra mim. Conectada na internet eu usava o meu msn, uma das zilhões de versões, já dessas atuais sabe, bom usava aí pediu pra eu atualizar uma coisa qualquer e eu disse sim, pra quê? O bicho atualizou pra mais uma versão, a 11, onde dá pra fazer até o almoço se você quiser. Não gosto dessas multiferramentas, que nem celular com câmera, filmadora, música, E LIGAR ROLA? Bom me vi completamente perdida no novo e imposto msn e decidi ir pelo modo mais burro de resolver. Deletei tudo e baixei o velho e querido msn de volta, resolvido.
Quem não ama a tecnologia, as novidades, as facilidades de se comunicar com as pessoas, os sites de relacionamento, a interatividade, tudo isso é muito maravilhoso mas eu tenho certeza que um dia as máquinas nos deixaram de cabelo em pé, de saco cheio, de pernas pro ar e mais algumas figuras de linguagem. Tudo isso pela dependência que cada dia mais temos pelos aparelhos eletrônicos em geral. Já disse uma vez: redes sociais, ame-as ou deixe-as! Agora reformulo: eletro eletrônicos, ame-os, ou deixe-os.


Esse causo lembrou meu amigo @ditopeloMaldito do blog: http://www.ditospelomaldito.blogspot.com/ esse tipo de coisa acontece o tempo todo com ele: coisas erradas! Beijo pra tu Mourão!

*Depoimento de uma pessoa comum, revoltada com seus aparelhinhos e programas do computer.

Um comentário:

Bruna Guedes disse...

hahahahha. Nunca quero um fixo igual a esse teu. Nunca! beijos