Sinta-se beijado(a)

A língua é o único músculo que diz a que veio. Eu falo o que penso, eu conto o que vejo, eu compartilho o que gosto, eu exponho meu modo eu me mostro. É um espaço meu, seu, é universal assim como o Beijo! Fique a vontade e divirta-se!

25 de set de 2010

Sensato desconcerto!

Os frequentadores do blog devem saber que sou originalmente do ACRE, e a maioria dos acreanos é bairrista, valoriza as coisas de sua terra, mas há quem não goste de nada disso também, NORMAL. Esse post vem da alegria que sinto hoje, da energia que recebi ontem ao ver mais um show dos meninos acreanos: Los Porongas, mas o 1º fora de casa, com saudade etc. E entrou pra lista dos melhores shows que já fui na vida. PONTO.

Rock brilhante com poesia dançante, batidas energéticas e métricas que eu só posso crer que a inspiração deles vem de algo muito maior! Los Porongas é na minha humilde opinião a melhor banda de rock autoral do país (EU ACHO). Tá que eu não conheço muita coisa, mas eles são foda. E tudo que surge hoje em dia tem um "Q" emo, colorido, happy de ser e isso me irrita com toda força. E esses rapazes fazem um rock/jungle como eles mesmo dizem interessante, com história, qualidade sonora, letras que dizem alguma coisa e não choram dores pela namoradinha que se foi.

No show, os meninos que agora misturam a selva de onde vieram com a selva onde estão, fazem do show algo memorável. O doce Diogo Soares incorpora uma postura forte no palco, é pura expressão e poesia corporal, sua voz canta e conta a emoção do fundo da alma. João Eduardo o mestre na guitarra faz do instrumento extensão de seu corpo e faz qualquer um delirar com solos criados a partir da palavra perfeição. Márcio Magrão na sua timidez gritante transforma o som do baixo em uma elegância sonora absurda. E o dono das baquetas Jorge Anzol é a energia que vibra por todos os lados, entre caras e bocas deixa a gente sem chão querendo pular junto com cada batida.

Ontem eles lançaram o novo single:
Sangue novo(Diogo Saores/ João Eduardo/ Márcio Magrão/ Jorge Anzol)

É do concreto e não do além
O desconserto, o tempo só
Nem todo trato me convém
Ando calado e com vontade de querer
Parar tudo ao meu redor

O tanto certo é quanto tem
Se for discreto é bem melhor
Pior e muito é ficar sem
Contrariado na vontade de querer
Usar tudo ao meu redor

Não percebe o mal
Quea dormência atrai
E a ausência traz
Desconforto igual
Vai comprar o céu
Sem saber voar

Nem se importa mais
Haja tanto faz
Contra o que não tem
Grita por ninguém
Dorme além do bem
Ganha e fica sem
Não se satisfaz
Nem descansa em paz

Quem sabe um sangue novo hoje escorra por aqui…

Morto ele talvez repare
No porão de si e acabe
Desenhando algumas penas
Arcos, ares, outras cenas
Plano aberto prá voar

Nem se importa mais…

Talvez amanhã eu não esteja mais aqui
Amanhã talvez eu não esteja mais aqui

*Mais em: www.losporongas.com.br
*Ouça em: www.myspace.com/losporongas

Ontem na frente do palco cantando junto todas as músicas, dançando, pulando, vibrando cada segundo eu me senti em casa. Entre lágrimas, sorrisos e voz falha no final eu tive uma noite de extrema alegria e emoção, longe de casa e na verdade super em casa. Essa é minha forma de agradecer o lindo show de ontem, OBRIGADA pela energia que ainda me faz arrepiar 24 horas depois.

Um beijo imenso aos Porongas, sucesso sempre meninos.
Preciso dizer que amo vocês? hehehe



*Ah e o título é porque realmente fiquei desconcertada com sensatez! :)

2 comentários:

Cesar Junior disse...

Sou do mesmo modo, não conheço muita coisa, mas Los Porongas não faria sucesso so por ser de nossa terra, além de tudo tem que saber fazer sucesso, e isso eles estão fazendo de maneira sútil. Me amarro no som dos caras. Dinha, lindo post viu!

mundo da lu disse...

Cau, gostei do seu blog, também tenho um, mas o visual é bem tosco, passa lá e me dá umas dicas.
valeu!
beijos
lu

http://mundo-da-lu.blogspot.com